sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Vaticinium Ex Eventu: Por que as profecias bíblicas não são o que aparentam ser?

Um Vaticinium Ex Eventu (do latim "Profecia após o Evento") é um termo técnico, teológico e historiográfico. Ele refere-se à inserção de uma profecia num texto depois do autor teve conhecimento do evento. A profecia é assim introduzida na ordem cronológica do texto antes da ocorrência do evento.

Ou seja, no Vaticinium Ex Eventu o texto é escrito de forma a parecer que a profecia tenha ocorrido antes do evento, quando na verdade ele foi escrito após os eventos supostamente previstos. O Vaticinium ex Eventu é uma forma de viés retrospectivo. O conceito é semelhante, mas diferente de "posdição": O viés de retrospectiva ou recapitulação é um viés cognitivo que ocorre quando sabemos uma vez o que aconteceu você tende a modificar a memória da opinião antes dos eventos ocorridos em favor do resultado final. Na Posdição as profecias foram realmente escritas ou faladas antes do evento, e após o evento são reinterpretadas para encaixar os fatos como eles ocorreram.

Não há consenso na medida em que as profecias no Tanakh no início do cristianismo sejam profecias Vaticinia Ex Eventu. Os teólogos tradicionalistas e evangélicos tentam manter as profecias da Bíblia como regra para as previsões reais.

Os exegetas críticos estipularam que certas profecias, tais como a profecia da destruição do Templo de Jerusalém feita por Jesus (Lucas 21:24) , foram inseridas no texto após o fato. Este é um dos dados primários utilizados para a datação dos Evangelhos por estudiosos de síntese. Sabe-se que a destruição do templo de Jerusalém ocorreu por volta de 70 d.C., e daí os estudiosos afirmam que o evangelho de Lucas foi, por exemplo, escrito após esse ano. Por outro lado, a síntese de alguns estudiosos críticos os fizeram concluir que pelo menos parte da previsão da sua própria morte e ressurreição de Jesus (Marcos 8:31 , por exemplo) poderia plausivelmente ter sido feito antes de sua morte.

Além disso, as previsões de Daniel são um típico caso de Vaticinia Ex Eventu em que existe o consenso científico. O autor do livro de Daniel escreve fatos que somente uma pessoa no século II a.C. poderia saber, embora se refira ao profeta Daniel, que supostamente teria vivido no exílio, cerca de quatro séculos antes.


O caso do livro de Daniel é tão interessante que merece até ser destacado.

Autoria do Livro de Daniel

O livro de Daniel faz parte de um grande número de apocalipses judaicos, todos eles escritos de maneira pseudônima. Apesar de tudo o livro é tradicionalmente atribuído a Daniel, o vidente. Os capítulos 1-6 do livro estão na voz de um narrador anônimo, exceto para o capítulo 4, que está na forma de uma carta do rei Nabucodonosor, somente a segunda metade ( capítulos 7-12 ) é apresentado pelo próprio Daniel , introduzido pelo narrador anônimo nos capítulos 7 e 10 

O verdadeiro autor ou editor do livro de Daniel foi provavelmente um judeu educado, bem instruído na erudição grega, e com um alto nível em sua própria comunidade. O livro é um produto de círculos de "Sabedoria”, mas o tipo de sabedoria é mântica ( a descoberta de segredos celestiais através de sinais terrestres ), e não a sabedoria de aprendizagem. A principal fonte de sabedoria em Daniel é a revelação de Deus.

É possível que o nome de Daniel tenha sido escolhido com o herói do livro por causa de sua reputação como um vidente e sábio na tradição hebraica . Ezequiel, que viveu durante o exílio babilônico , o mencionou em associação com Noé e Jó (Ezequiel 14:14) como uma figura lendária da sabedoria ( 28:3 ) , e um herói chamado Daniel (mais precisamente Dan'el , mas a ortografia está próxima o suficiente para que os dois sejam considerados idênticos ) aparece em um mito tardio do segundo milênio de Ugarit "o lendário Daniel , conhecido de há muito tempo , mas ainda lembrado como um caráter exemplar ... serve como o principal herói humano no livro bíblico de que hoje leva seu nome" . Daniel é o sábio e justo intermediário que é capaz de interpretar sonhos e, assim, transmitir a vontade de Deus para os seres humanos, o destinatário das visões do alto, que são interpretados por ele por intermediários celestes.

Datação do Livro de Daniel

A exclusão do livro de Daniel do cânone da Bíblia hebraica dos profetas , que foi fechado por volta de 200 a.C., sugere que ele ainda não era conhecido na época, e a Sabedoria de Sirac (ou Livro do Eclesiástico) , de cerca de 180 a.C., baseia-se em quase todos os livros do Antigo Testamento, exceto Daniel , e os principais estudiosos supõe que o autor não tinha conhecimento dele. Daniel é, no entanto, citado pelo autor de uma seção dos Oráculos Sibilinos, comumente datados de meados do século 2 a.C., e era popular em Qumran, que estava começando a surgir ao mesmo tempo, o que sugere que ele só foi conhecido e reverenciado a partir de meados de desse século .

A configuração histórica real do livro é clara a partir do capítulo 11, onde a profecia é precisa até a carreira de Antíoco IV Epifânes , rei da Síria, e opressor dos judeus , mas não na sua previsão de sua morte : o autor sabe sobre as duas campanhas de Antíoco no Egito (169 e 167 a.C.) , a profanação do Templo (a " abominação da desolação" ) , e a fortificação da Akra (uma fortaleza construída dentro de Jerusalém ) , mas ele não sabe nada sobre a reconstrução do Templo ou as circunstâncias reais da morte de Antíoco no final de 164 a.C. Os capítulos 10-12 devem ter sido escritos entre 167 e 164 a.C . Não há nenhuma evidência de um lapso de tempo significativo entre os capítulos e capítulos 8 e 9, e o capítulo 7 pode ter sido escrito apenas alguns meses antes.

Mais Exemplos

Os oráculos sibilinos são consideradas Vaticinia Ex Eventu escritos em imitação dos Livros sibilinos romanos, da época helenística tardia a Antiguidade, primeiro escritos por judeus de Alexandria, e mais tarde por cristãos de todo o mundo romano.

No hinduísmo , o profeta Madhva faz um Vaticinium Ex Eventu no século XIII, quando se auto aplicou a profecia védica para si mesmo, declarando-se a ser uma encarnação.

O Livro de Mórmon, pelo menos do ponto de vista daqueles que estão fora da Igreja dos Santos dos Últimos Dias, contém muitos Vaticinia Ex Eventu, como a descoberta da América por Cristóvão Colombo ou o prenúncio do seu fundador, Joseph Smith, Jr.






Referências Bibliográficas

The Book of Daniel RaymondHammer, Cambridge University Press [1976]





Nenhum comentário:

Postar um comentário