sábado, 4 de janeiro de 2014

A Hipótese das Múltiplas Fontes: Origem dos Evangelhos

A hipótese das Múltiplas Fontes é uma proposta de solução para o problema sinótico, sustentando que Mateus, Marcos e Lucas não são diretamente interdependentes, mas tem cada um a combinação distinta tirada de documentos anteriores. Ela engloba uma família de teorias diferentes nas particularidades da natureza e as relações destes documentos anteriores.

Uma forma inicial da teoria foi proposta por Marsh mais de dois séculos atrás. Mais recentemente, Boismard propôs uma teoria estruturalmente semelhante, que foi desenvolvida por Rolland e Burkett.

De acordo com estas teorias, o material comum entre os três evangelhos sinóticos, em última análise, deriva de um Proto-Evangelho um pouco parecido como Marcos. Este proto-evangelho passou por duas revisões independentes, A e B. Marcos foi formado por recombinação dessas duas revisões. O evangelho de Mateus foi construído sobre A e Lucas sobre B. Tanto Mateus e Lucas também usaram uma fonte comum chamada Q, bem como outras fontes de origem para seu material exclusivo.


Diagrama simplificado da premissa principal na maior parte dos variantes da hipótese de múltiplas fontes

Se você quiser saber mais sobre estas teorias, consulte os seguintes livros:

Marsh, Herbert (1802). "Dissertation on the Origin of our Three First Canonical Gospels". In Michaelis, John David. Introduction to the New Testament. vol. 3, pt. 2 (2nd ed.). pp. 167–409.

Boismard, Marie-Émile (1979). "The Two-Source Theory at an Impasse". New Testament Studies 26: 1–17.

Rolland, Philippe (1984). Les Premiers Évangiles, un nouveau regard sur le problème synoptique.

Burkett, Delbert (2004). Rethinking the Gospel Sources: From Proto-Mark to Mark.



Nenhum comentário:

Postar um comentário