domingo, 27 de janeiro de 2013

Influências egípcias na Bíblia Hebraica

É geralmente aceito que várias partes dos texto da Bíblia Hebraica tiveram seus precedentes na primitiva era do Bronze das religiões e mitologias do antigo Oriente, especialmente na religião da Mesopotâmia, mas também há uma grande dívida dos escritos hebraicos para com a sabedoria egípcia. Por instância vale mencionar que as máximas morais do Livro dos Provérbios derivam diretamente das Instruções de Amenemope. As instruções de Amenemope (também conhecidas como Sabedoria de Amenemope) são uma obra literária composta no antigo Egito, provavelmente durante o período do Império Novo, cerca de 1 3000 ou 1075 anos antes de Cristo. Estas instruções contém 30 capítulos de conselhos para uma vida virtuosa e plena, e teriam sido escritas pelo escriba Amenemope, filho de Kanakht, como um legado para o seu filho. Essa é uma obra que é característica do período da piedade pessoal, e reflete as qualidades internas, atitudes e comportamento que são requeridos para uma vida feliz em face às dificuldades sociais e econômicas crescentes naquele período. As Instruções de Amenemope são amplamente aceitas como uma das grandes obras de sabedoria do antigo oriente, e são de particular interesse por eruditos modernos por causa de sua relação direta com o livro bíblico dos Provérbios.
Papiro contendo as Instruções de Amenemope


A religião do antigo reino de Judá é um amálgama das tradições locais cananitas. Yahweh é um deus de origem moabita, Elohim era um grupo de deidades da religião de Ugarit, Jerusalém era em sua origem uma cidade jebusita, sob a tutelaridade da deidade Tsedek. Estas tradições canaanitas que deram origem ao surgimento da antiga religião israelida e do primitivo judaísmo eram, por sua vez, influenciadas pelas tradições mesopotâmicas e e possivelmente pelas tradições egípcias também, e ambas eram mais antigas. 

Embora hajam muita evidências da influência da sabedoria egipcia sobre vários trechos da bíblia, o consenso entre os estudiosos e eruditos modernos é que houve pouca ou nenhuma influência direta da antiga religião egípcia no Judaísmo primitivo. A teoria de Sigmund Freud, que afirma que a monolatria de Israel foi derivada do Atonismo (Atonismo, também conhecido como a "heresia de Amarna", que é a primeira religião monoteísta (ou henoteísta), conhecido na história), tal como exposta na obra Moisés e o Monoteísmo de 1939, tem pouco apoio dos escolásticos e biblicistas modernos.

Referências bibliográficas:

Moses the Egyptian: the memory of Egypt in western monotheism, Jan Assmann.
Of God and gods: Egypt, Israel, and the rise of monotheism , Jan Assmann.
A Legacy of Wisdom: the Egyptian Contribution to the Wisdom of Israel, Glendon E. Bryce
Egypt, Canaan, and Israel in Ancient Times, Donald B. Redford

Um comentário:

  1. Excelente texto sobre a influência do atonismo sobre o judaísmo. Parabéns! visite nossos blogs religiosos sobre o atonismo: http://atonismo.blogspot.com.br/ http://atenism-religion.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir